sexta-feira, 20 de abril de 2012

O preço e o valor

 Eu sou ricaaaaa!

Ler o post da Simone sobre os preços abusivos essa semana, me fez ficar com vontade de escrever sobre esse mal moderno que afeta a sociedade em geral, mas no nosso Brasil, acerta em cheio: a ostentaçao. Eu nunca fui e não sou ligada a aparencias. Sei muito bem o valor do dinheiro dos meus pais, do meu namorado e principalmente do meu quando eu tenho! Vida de estudante é osso!. A Si nos contou cheia de surpresa que ela foi num pub em São Paulo onde as pessoas pagam 40 reais por uma garrafinha de cerveja que aqui nao custa mais que 2,50 euros. Eu sei que vai ter gente que vai falar que o negócio é importado que tem imposto e o diabo a quatro. Verdade. Mas gente, ser importado não é sinonimo de qualidade. Eu não pagaria 40 pilas numa cerveja que em teoria é a mesma coisa que Skol. Não que Skol seja ruim, - apesar de eu preferir Brahma - mas se vc paga esse preço numa cerveja, que seja uma cerveja especial! E acreditem as cervejas belga top não vão para o Brasil.
Então por que nao pagar simplemente pelo produto nacional que também é de qualidade e economizar seu suado dinheirinho? Porque pagar 40 reais numa long neck não tem nada a ver com apreciar a cerveja, tem a ver com ostentaçao. O legal não é ter algo que você possa comprar, o legal é comprar algo que seu vizinho não pode, simples assim. Eu teria vergonha de pagar 40 reais numa garrafa de cerveja. 40 REAIS!!!
E eu sempre fui assim, graças a Deus e a minha mãezinha que nunca me deu regalia nem se matou de trabalhar pra me comprar tênis ou jeans da moda na minha adolescencia. Mas numa sociedade de valores invertidos, esse comportamento esta se tornando raro. Não pensem que eu falo isso porque estou morando fora e adoro meter o pau no Brasil, eu sempre critiquei esse comportamento! E aparentemente as coisas so tem piorado desde que eu sai de la.
Um exemplo: festa da cerveja em Divinópolis. Eu ja fui na festa da cerveja quando era adolescente. A gente ia nos shows a noite, a tarde iamos pra savassi ver os brotinhos! hehehe... Hoje em dia, 10, 12 anos depois, a savassi nao existe mais, os shows continuam sendo O Rappa, Jota Quest, Charlie Brown e Ivete Sangalo TODO ANO e se consolidou a invençao pega-bobo do milênio: os camarotes. Acabei de ver aqui que um camarote para dois dias de festa esta saindo pela bagatela de 290 reais. Até onde eu sei, você tem direito a entrar e sorrir. E o povo paga numa boa... E não é quem é rico que paga não, a invençao do camarote veio com um auxilio importante: o cartão de credito. Está ai o parcelamento de 12X pra comprar qualquer felicidade!
O que me entristece é que as pessoas não realizam que essa ostentação so tem uma consequência: diminuiçao do poder de compra da população em geral. So são cobrados preços abusivos porque existe gente que paga, ou melhor que gosta de pagar! Isso ainda vai nos custar muito caro... ja custa! Eu deixo de sair muitas vezes porque nao estou a fim de pagar o que me pedem. Muitas vezes beber em casa com os amigos é mais barato e até mais divertido. Sendo assim, por que nao? Porque beber em casa tem um problema. Lá ninguem vai ver que você pode pagar 40 reais numa long neck estupida. E isso vale pra roupas, bolsas falsificadas, uma gama de apetrechos e aparatos que nao possuem valor real, so preço. E pompa. Que nem as babás que tem que desfilar de uniformes brancos na praia, o ajudante do supermercado que tem que embalar nossas compras, a empregada domestica que tem que ir todo dia pra casa do patrão mesmo que nao haja necessidade, o flanelinha que tem que encher nossos pneus... Êêê, casa grande!

7 comentários:

  1. Miga a coisa tá bem assim mesmo, e olha triste dizer que Minas está pior do que Sâo Paulo. Sempre foi um pouco assim, por ser cidade grande o povo aqui tá um pouco mais preocupado com o corre corre do dia a dia não tem muito tempo pra prestar atenção, já na minha querida São João del Rei a ostentação rola solta, e o pior é que as pessoas entram numa competição imaginaria com quem vem de fora, antes era porque eu morava em SP e TINHA que ter umas roupas melhorzinhas, uns sapatinhos de marca... agora que eu moro na Europa a coisa piorou.

    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ai si, que tristeza que eu tenho dessas coisas... na minha familia é um pouco assim.. mta mulher, competitivas por natureza. como eu sou acostumada a ser a pata feia, pra mim tanto faz como tanto fez! hahaha...so sei que vou abalar bangu com o vestido de 10 pilas que eu comprei na H&M pra ir no baile da mamis! hohoho...

      Excluir
  2. Xará, ótimo texto! E péssima situação nesse Brasil, viu...
    Te digo que eu até pago um camarote, não pela ostentação, mas por achar que é mais seguro (pq a violência tb é outra coisa que tá TENSO por essas bandas... infelizmente). Mas isso eu acho né... será que é mesmo mais seguro? Sei lá...
    Agora PUTZ 40 reais numa cerveja!? De vez em quando (entenda-se: raramente) compro uma ou outra alemã no supermercado e meu coração e bolso doem de pagar uns 13 reais... imagina quarenta. NO WAY. E roupa... nossa, olha eu fico babando aqui zapeando pelos blogs da vida, e vejo cada roupa linda nas blogueiras.... mas quando olho o preço das peças, acho um MEGA ABSURDO! Short custando 900 contos... blusa 500, e assim por diante! Com tanta coisa melhor para se fazer com 900 reais, a guria me compra um short. Valha-me Deus! rs Se tem algo que eu me orgulho é de ser pão-dura assumida! Até mesmo pq, esse preço as pessoas pagam pela etiqueta, puramente. Aff...

    Ah, a Simone disse que agora que ela mora na Europa piorou...
    E eu, que por trabalhar embarcada, as pessoas acham que eu tô montando no dinheiro? Ai essas idéias que não condizem com a realidade..rs Confesso que eu bem que gostaria de ter dinheiro assim, para gastar sem pensar no preço! Mas não sei se eu faria isso...é mt dinheiro num short gente.

    Beijos Natiiii!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olha xara, eu ja te falo que eu nao tenho 900 reais pra pagar num short e se tivesse, nao pagaria!! eu acho um absuuuurdoooo!! como eu disse, isso foi um valor que mamis passou mto bem pra gente: vc nao precisa de uma roupa cool pra ser legal. nao era de td verdade, pelo menos nao na adolescencia... eu era sempre a prima feia e encalhada! kkkkkk... bom, mas posto que nao me tornei uma serial killer por causa disso, acho que nao foi tao grave assim e a ideia continua a mesma. acho otimo comprar as coisas aqui tao baratinhas, me acabo nessas soldens! o povo fala: se comprar roupa vagabunda nao vai durar. eu penso: se eu comprar mta roupa vagabunda, vou ter mta variedade, o rodizio vai ser grande e a roupa vai durar simplesmente pq nao sera usada mtas vezes! ahhahaha... vou fazer um post sobre isso!

      Excluir
  3. Brasil nunca deixou de ser colônia.
    É estupido o jeito como o povo fica maravilhado com o Starbucks, o Out Back e Nutella. É bom, mas não precisa de uma foto no instagram a cada momento e tanto frisson assim.
    Amei o texto :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, e lembro de uma vez que o Pânico fez uma brincadeira com o povo famoso: comprou um terno bem baratinho, colocou uma etiqueta de uma marca super cara e pediu pros famosos analisarem, dizendo o porquê daquele terno ser diferente dos mais baratos. Todos babaram um ovo danado, a única pessoa que reconheceu o terno falso foi o estilista da marca famosa.
      Aqui no Brasil, as meninas morrem por causa da Zara. Sabe, a Riachuelo tem roupas parecidas/bacanas e muito mais barato -mas não é a Zara, né?

      Excluir
    2. é verdade mesmo priscila, nao canso de me espantar td vez que vou ao brasil. pior é que as pessoas estao tao dentro dessa maentalidade td que nem enxergam o que esta acontecendo. sera que um dia melhora? eu ja fui mais otimista... bjos

      Excluir

Pin It button on image hover